quinta-feira, 7 de abril de 2011

Intersecção I


Bem, aqui vai: mais um dos meus “peidos” cerebrais, enjoy.

----------------//---------------- 

E os seus caminhos cruzaram-se. Na intersecção, ambos violentamente chocaram. Nem sequer olharam um para o outro, apanharam as suas coisas e seguiram o seu caminho.

Mas tal não era a vontade de Destino. Ele ainda os faria chocar várias vezes, na esperança de, um dia, eles reparassem um no outro. Mas nada feito. Escravos da sociedade acelerada, continuavam o seu caminho como os bons cordeirinhos que eram.

Tal coisa frustrava Destino. O que fazer? Como juntar aquelas duas almas? Ele sabia que teria muito trabalho para fazer. Todos se ajoelhavam perante Destino, e aqueles dois não eram excepção. A sua vontade seria cumprida, como sempre antes tinha sido.

-------------------------------------------------------------------------------- 

RISE!!!

2 comentários:

Anónimo disse...

Tens de parar de te auto-desvalorizar. Simplesmente escreve o que te apetecer.

Gaktak disse...

Eu não me auto-desvalorizo (bem, talvez um bocadinho...). Eu quando digo "peido" ou "nhanha" cerebral, pura e simplesmente significa que escrevi tal e qual o pensei, ou seja, não houve nenhum tratamento do texto (para além da correcção de erros ortográficos...), é simplesmente o produto, digamos "em bruto" do meu pensamento. E mesmo que para os outros ao denominar isso como "nhanha" ou "peido" seja auto-desvalorizar, para mim, é uma maneira de me rir de mim próprio e do caos que é a minha mente... ^^