terça-feira, 24 de maio de 2011

Intersecção V

Estava ela muito bem a andar e... Bam! Um paspalho qualquer choca contra ela... já começava a parecer uma piada de mau gosto... No entanto, alguém o deve de ter empurrado ou qualquer coisa, que ele caiu em cima dela, ambos com olhos esbugalhados de surpresa. Ele começou a pedir desculpa e rapidamente saiu de cima dela. Mas não era preciso, não era preciso... Ele que a ajudasse antes a apanhar as suas coisas: Os seus papéis estavam todos espalhados pelo passeio... Os seus pensamentos espantaram Destino: ele nunca tinha ouvido palavras tão... vivazes... ("paspalho?") Pelo menos daquele mundo. Mas então, isso só quereria dizer que... Sim! Sim! As suas suspeitas confirmavam-se! A vida, mesmo que uma réstia só, infecciosamente se espalhava e virulentamente se contagiava!

Enquanto Destino se regozijava, Ele, com vénias de arrependimento, se curvava perante a mulher que se encontrava à sua frente e, depois, cada um seguiu o seu caminho.

Não! Não! Não! Porque se afastavam eles? Por pouco que ele não os fazia chocar outra vez, mas, decidiu esperar: aqueles eram animais estranhos e enigmáticos: Destino, embora pudesse ouvir os seus pensamentos, decidiu não o fazer: Por vezes, ele gostava de uma boa surpresa... E se aquilo não desse em nada, ele poderia sempre voltar a tentar...



--------------------------------------------------------------------------------


RISE!!!

Sem comentários: